Dia Mundial da Oração + Forjando a Armadura

Você sabia que hoje é o Dia Mundial da Oração? Acho cômico que atualmente exista dia de tudo. E como eles acabam se perdendo na correia do dia-dia.

Quando criança eu tinha um livrinho da Turma da Mônica, com orações, dicas de comportamento e boas ações para crianças. Eu lembro que assim que ganhei eu o carregava comigo para onde quer que fosse. Com o tempo ele acabou se perdendo em algum lugar.

Mas nunca me esqueci da oração do anjo da guarda.

“Meu anjo da gurda,

Meu bom amiguinho

Me leve sempre

Pelo bom caminho”

Durante a adolescência orar, só quando eu era obrigada. Ou naqueles momentos de desespero total.

Do medo quero arrancar odomínio e dá-lo

Porém ultimamente eu tem estudado bastante sobre espiritualidade e a oração tem novamente se tornado uma prática no meu cotidiano. E eu quero aproveitar o dia de hoje e compartilhar aqui um texto do Rudolf Steiner que fala ao meu coração como se fosse uma oração.

FORJANDO A ARMADURA  

“Nego-me a me submeter ao medo
que me tira a alegria de minha liberdade,
que não me deixa arriscar nada,
que me torna pequeno e mesquinho,
que me amarra,
que não me deixa ser direto e franco,
que me persegue, que ocupa negativamente minha imaginação,
que sempre pinta visões sombrias.

No entanto não quero levantar barricadas por medo
do medo. Eu quero viver, e não quero encerrar-me.
Não quero ser amigável por ter medo de ser sincero.
Quero pisar firme porque estou seguro e não
para encobrir meu medo.

E, quando me calo, quero
fazê-lo por amor
e não por temer as
conseqüências de minhas
palavras.

Não quero acreditar em algo
só pelo medo de
não acreditar.
Não quero filosofar por medo
que algo possa
atingir-me de perto.
Não quero dobrar-me só
porque tenho medo
de não ser amável.
Não quero impor algo aos
outros pelo medo
de que possam impor algo a mim;
por medo de errar, não quero
tomar-me inativo.
Não quero fugir de volta para
o velho, o inaceitável,
por medo de não me sentir
seguro no novo.
Não quero fazer-me de
importante porque tenho medo
de que senão poderia ser ignorado.

Por convicção e amor, quero
fazer o que faço e
deixar de fazer o que deixo de fazer.

Do medo quero arrancar o
domínio e dá-lo ao amor.
E quero crer no reino que
existe em mim.”

 

E você tem alguma oração preferida?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s